273+ Criativa

E-commerces encerram 2022 com crescimento de 75% no faturamento, aponta estudo.

De acordo com levantamento da SmartHint, sistema de busca e recomendação para e-commerce da América Latina, os varejistas observaram um crescimento de 75% no faturamento nas vendas em 2022, baseados nos clientes que utilizam o sistema da empresa. No ano de 2021, as lojas online faturaram aproximadamente R$ 277 milhões.

O estudo também apontou que, entre os 25 segmentos analisados, os três primeiros colocados na preferência do público foram os de Moda e Acessórios, com mais de 458 mil pedidos; seguido por Perfumaria, Cosméticos e Saúde, com 194 mil, e, na última colocação, Casa, Jardim e Decoração, com mais de 100 mil pedidos.

O ticket médio das vendas também apresentou um aumento de 9%. Em 2022, ele subiu para R$ 391, ao passo que ficou em torno de R$ 361 no ano anterior. A taxa de conversão, de 1,79%, foi 51% maior em comparação aos períodos anteriores.

“O ano de 2022 foi bom para o e-commerce, apresentamos resultados expressivos, e para 2023 o cenário tende a ser ainda mais positivo. Estamos alinhados com as expectativas do mercado, incluindo a AbComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), que prevê um faturamento de R$ 185,7 bilhões para o comércio online. Estamos bem confiantes nesse resultado”, conta Rodrigo Schiavini, diretor de negócios da SmartHint.

O estudo ainda destacou que, só em 2022, os sites que utilizam a ferramenta receberam mais de 69 milhões visitantes. O período analisado foi de 1º de janeiro a 31 de dezembro.

De acordo com levantamento da SmartHint, sistema de busca e recomendação para e-commerce da América Latina, os varejistas observaram um crescimento de 75% no faturamento nas vendas em 2022, baseados nos clientes que utilizam o sistema da empresa. No ano de 2021, as lojas online faturaram aproximadamente R$ 277 milhões.

O estudo também apontou que, entre os 25 segmentos analisados, os três primeiros colocados na preferência do público foram os de Moda e Acessórios, com mais de 458 mil pedidos; seguido por Perfumaria, Cosméticos e Saúde, com 194 mil, e, na última colocação, Casa, Jardim e Decoração, com mais de 100 mil pedidos.

O ticket médio das vendas também apresentou um aumento de 9%. Em 2022, ele subiu para R$ 391, ao passo que ficou em torno de R$ 361 no ano anterior. A taxa de conversão, de 1,79%, foi 51% maior em comparação aos períodos anteriores.

“O ano de 2022 foi bom para o e-commerce, apresentamos resultados expressivos, e para 2023 o cenário tende a ser ainda mais positivo. Estamos alinhados com as expectativas do mercado, incluindo a AbComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), que prevê um faturamento de R$ 185,7 bilhões para o comércio online. Estamos bem confiantes nesse resultado”, conta Rodrigo Schiavini, diretor de negócios da SmartHint.

Matéria adaptada do portal: https://www.ecommercebrasil.com.br/
Para ler na íntegra acesse: https://www.ecommercebrasil.com.br/noticias/e-commerces-encerram-crescimento-faturamento