273+ Criativa

Marketing personalizado será uma prioridade nos próximos cinco anos, segundo pesquisa

Investimento em transformação digital no marketing aumentará em até 40%, aponta estudo da iResearch/Pegasystems em 11 países

Inteligência Artificial e a personalização de conteúdo serão as prioridades para o trabalho de marketing nos próximos cinco anos, segundo pesquisa da Pegasystems (Pega), empresa de software em conjunto com a empresa de pesquisa iResearch. Foram entrevistados 750 gestores de marketing de 11 países e o estudo apontou que o investimento em transformação digital para o setor deve aumentar em até 40% no período, o que trará grande transformação para o marketing e para os profissionais da área, com a tecnologia cada vez mais presente na comunicação one-to-one e mapeamento da jornada de consumo.

Para 67% dos entrevistados, o marketing personalizado será uma prioridade nos próximos cinco anos, período considerado para o levantamento. Para obterem eficiência nessa comunicação individual, tecnologias alimentadas por IA (inteligência artificial) que possam entender, ter empatia e até mesmo antecipar as necessidades dos clientes de uma maneira perfeitamente sincronizada e contextualizada serão, cada vez mais, relevantes.

“Os negócios bem-sucedidos de amanhã serão aqueles que não apenas aproveitam o poder das tecnologias para entender seus clientes, mas também aproveitam a tecnologia para construir conexões e criar maior valor por meio desses relacionamentos”, disse Tara DeZao, diretora de Marketing de Produto de MarTech & AdTech da Pega. A pesquisa ainda aponta que as comunicações one-to-one estão em ascensão, com melhores taxas de conversão. O levantamento ainda prevê que, no futuro, a IA decidirá quais mensagens enviar a um cliente com base em suas ações passadas, sinais em tempo real e dados contextuais, incluindo como outros compradores semelhantes reagiram.  Isso aumentará a fidelidade e os gastos do cliente,  melhorando as taxas de conversão.

Outro ponto ressaltado é o mapeamento da jornada do consumidor. Para 60% dos entrevistados, o Customer Lifetime Value (CLV) será fundamental na mensuração das ações, nos próximos cinco anos. Para impactar o CLV, as organizações precisam deixar de assumir que todos os compradores seguem uma única jornada para reconhecer que há uma proliferação deles e que cada comprador tem uma jornada única. As organizações já parecem estar alocando seus recursos com isso em mente: 70% dizem que a maior parte de seu orçamento para novas tecnologias será destinada à automação inteligente, enquanto 66% citam também IA e 60% citam Web 3.0 como prioridades de investimento futuro.

Novas habilidades

Com a transformação digital em voga para os gestores em marketing, os profissionais da área também terão de desenvolver certas habilidades, que serão mais prestigiadas nos próximos cinco anos. Para um quarto dos entrevistados, qualificações digitais e computacionais, bem como proficiência em gerenciamento e análise de dados, serão fundamentais, à medida que as empresas adotam a tecnologia e se concentram em oferecer melhores experiências ao cliente e maximizar o CLV.

Os entrevistados avaliaram as principais funções que deverão buscar nos próximos cinco anos. Desenvolvedores de conteúdo foram os mais mencionados, com 73% dos entrevistados ressaltando os profissionais. Seguido de data analysts, citados por 65%, user experience, para 59%, e especialistas em SEO, para 47%. Em quinto, no ranking, ficou o customer strategist e em sexto desenvolvedores de softwares.

“Os profissionais de marketing estão impulsionando o crescimento como nunca”, observou

 “Dados, inteligência e automação são essenciais para capacitar os profissionais de marketing a liderar essa carga de crescimento sem comprometer a capacidade de contar a história de nossas marcas com nossos clientes”, finalizou.

Outras pesquisas recentes tem comprovado os avanços da transformação digital no Brasil. Levantamento realizado pela consultoria Deloitte — Agenda 2022 — com cerca de 500 empresas, cujas receitas somadas equivalem a 35% do PIB do Brasil, aponta que as companhias irão manter investimentos em tecnologia em 2022 e esperam aumentar suas receitas.  Os principais investimentos em tecnologia, de acordo com os entrevistados, serão em aplicativos, sistemas e ferramentas de gestão (96%); infraestrutura (96%); gestão de dados (95%); segurança digital (95%); customer marketing (81%); atendimento ao consumidor (78%); e canais de venda online (71%).

O varejo também amplia investimento em transformação digital.  De acordo com a 4ª edição do estudo “Transformação Digital no Varejo Brasileiro”, desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) em parceria com OasisLab Innovation Space, 87% das empresas afirmam ter ações de transformação digital de seus negócios, sendo que em 44% delas o investimento já supera 1% do faturamento bruto – na edição 2021 do estudo, 41% estavam nesse patamar. A transformação digital se tornou prioridade estratégica: 50% dos entrevistados dizem que essa é uma prioridade, com investimentos e ações definidas. Os principais benefícios obtidos pelo varejo na transformação digital estão relacionados ao aumento das vendas (87%), ao aumento do engajamento dos clientes (76%) e à expansão do tráfego web/mobile (50%). Mudar a cultura organizacional é a principal dificuldade no processo de transformação digital e também que % das empresas já estão muito engajadas com o novo universo do varejo: o metaverso.